domingo, 5 de outubro de 2014

Devocional - 4 de outubro

Ao imaginar o calor de um ninho e a segurança de estar sob as asas de amor de uma mãe galinha com relação aos seus pintinhos, terá a imagem vívida das protetoras asas de abrigo de Deus, sobre as quais o salmista fala nesta passagem. Será que todos estão protegidos? Não. Cabe a nós tomar uma decisão ao procurarmos isso. Observando um dia uma galinha com seus pintinhos no quintal Deus me ensinou uma lição que jamais esquecerei. A galinha ciscava, com seus pintinhos, tranquilamente no quintal, quando, de repente, apareceu a sombra de um falcão sobrevoando-os. A galinha, ao vê-lo, não correu para cima dos seus pintinhos a fim de protegê-los. Não!. Ela se sentou, abriu as asas e começou a cacarejar. Aquele pintinhos , de todas as direções, correram para ela e se abrigaram debaixo de suas asas estendidas. Então, ela as abaixou sobre eles, protegendo cada um. Para chegar aos bebês, o falcão teria que enfrentar a mãe primeiro. Assim age Deus conosco. Ele nos avisa do perigo e então temos que tomar a decisão de correr até Ele. Como? Refugiando-nos em oração. Deus não corre aqui e ali, tentando cobrir-nos. Ele diz: "Eu fiz com que a proteção se tornasse possível. Corram até mim!" E quando fazemos isso com fé, o inimigo tem que enfrentar Deus para atingir-nos! Como isso é reconfortante!

Nenhum comentário:

Postar um comentário