terça-feira, 28 de outubro de 2014

Devocional - 27 de outubro

Cada um nós busca posições entre as pessoas. Seja entre amigos, trabalho ou família, buscamos sermos aceitos e reconhecidos de alguma forma. E essas posições trazem consigo responsabilidades, direitos e deveres, privilégios e fazemos o máximo possível para atendê-las de forma que nossa posição não seja afetada.
Hoje acordei pensando na minha posição de filha e serva do Deus Altíssimo. O Pai que a tudo criou me colocou na posição de filha, com todos os direitos legítimos da herança gloriosa dos altos céus (Rm 8:17). Colocou-me na posição de serva, para servi-lo e estar debaixo do seu comando, para ser obediente aos seus ensinos, não de forma imposta e obrigada, mas como conseqüência da filiação que a mim foi concedida (1 Pe 1:14).
Essa posição de filho e servo nos traz responsabilidades, direitos e deveres, privilégios que não se comparam de forma alguma com aquilo que essa terra nos oferece. E quanto a isso me pergunto: Será que estou de fato assumindo essa posição de filha e serva? Será que estou disposta a assumir as responsabilidades de obedecer, de ser fiel, de seguir os ensinos do meu Pai, de ouvi-lo e ir contra o que quero para fazer a sua vontade?
Que essa posição da qual tive o privilégio de ser colocada, pela graça imerecida, seja de fato uma verdade em minha vida. Que ser chamada de filha de Deus me traga o senso da necessidade que tenho de ser como meu Pai, que é santo (1Pe 1:16). Que ser serva me leve à obediência e a fidelidade com base no amor que o Pai teve por mim, e não por mera obrigação (Jo 14:21).
E que Cristo seja formado em mim, para que essa posição seja refletida em minhas atitudes de forma que outros venham conhecê-lo e consequentemente assumir suas posições de filhos também. Que Cristo seja meu parâmetro de filho e de servo, a quem o Pai expressou seu amor: “Então uma voz dos céus disse: "Este é o meu Filho amado, em quem me agrado” (Mt 3:17) By Claudia Teixeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário