domingo, 7 de setembro de 2014

Devocional - 6 de setembro

Quando o véu do ego tolda o nosso coração, nossa compreensão é obstruída pela disposição egoísta, tão comum à nossa natureza. Mas quando alguém se volta para o Senhor, o véu da soberba, como ocorreu com o véu do templo é rasgado em dois. Não se trata de cortar um tecido, mas de dilacerar o coração, de dividir em dois a trama da auto-estima e da autoconsciência (ego). É um rasgo violento, uma execução da natureza incorrigível do ego.
Somente quando a soberba é crucificada sem misericórdia a alma pode alcançar o estado de pureza em que começa ao menos perceber a realidade de Deus. Em Cristo, com os véus do nosso ego, o pecado e a vergonha rompidos, podemos também virar-nos e encarar a glória de Deus. O Espírito de Deus habita dentro de nós e cada vez que o contemplamos verdadeiramente, cada vez que ele se revela a nós, nosso coração é mudado em glória sem fim, somos transformados com glória cada vez maior na mesma imagem divina (2Co 3:18).

Nenhum comentário:

Postar um comentário